Contactos

Telefone: 271231738
Morada: Rua do Forno s/n 6300-066 João Antão
Email: jf-joaoantao@hotmail.com

Caracterização

João Antão é uma freguesia portuguesa do concelho da Guarda, com 8,78 km² de área e 160 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 18,2 hab/km². É constituída por 7 anexas: Balsemão, Lameirinhos, Benavente, Sobreira, Casa Nova, Dorgueira e Vasco Neto.

As potencialidades de João Antão, passam pela proximidade à sede de concelho e pela tranquilidade que a paisagem transmite.

A nível associativo, podemos encontrar a Associação “Os amigos de João Antão”, que desenvolve  essencialmente actividades de carater recreativo.

 

Os eventos de cariz  cultural e religioso são:

  • Festa em honra de Nossa Senhora de Fátima.

Realiza-se no terceiro fim-de-semana de agosto, esta festa é dinamizada pela mordomia religiosa.

 

Atividade económica predominante da Freguesia é a agricultura de subsistência e a construção civil.

 

 

 

Produtos Endógenos

Produtores

Cecília Maria Alves Dos Ramos Zuna-Produz todo tipo de produtos hortícolas, cereais, cria e comercializa ovelhas, cabras, porcos, coelhos, galinhas e pombos.

Morada

Benavente

João Antão

6300-062 Guarda

963737741

Gastronomia

A matança do porco, em João Antão constitui um momento de partilha, a freguesia identifica como pratos típicos os confecionados no decorrer da tradicional matança. Como exemplos temos o sarrabulho, um prato confecionado com o sangue do porco, miolo de pão e cebola, e torresmos de banha, confeccionados a partir do courato do porco com gordura, que são cortados os quadrados e vão ao lume com sal.

 

Torresmos de banha

 

Artesanato

João Antão tem longa tradição no que diz respeito ao artesanato com as miniaturas em Madeira.

Américo Gomes Nunes, na publicação da ADM Estrela, (Sousa e Oliveira, Relembrando o Artesanato, 2001, p. 49), natural de João Antão mencionava o talento natural que tinha para fazer da madeira o que queria. O Artesão construía miniatura de madeira com nogueira, castanho, pinho e oliveira. As miniaturas eram arados, escadas, colheres de pau, dobadeiras, cangas, enchinhos e choças. No final da referida publicação o artesão refere que se alguém quisesse aprender que ele ensinaria.

Atualmente apenas um artesão se continua a dedicar à elaboração das miniaturas em madeira. Davide Ramos, residente na anexa de Balsemão, freguesia de João Antão, constrói tudo o que a memória o permite perpetuar, tem dezenas de miniaturas de monumentos, utensílios, objetos agrícolas, utilizados no dia a dia de uma aldeia.

O artesão participa pontualmente em feiras, e a maioria dos objetos são apenas para expor, desenvolve o oficio como passatempo, e ainda não conseguiu passar a arte a outras gerações.